Tendências de Early Admissions: Classe de 2024

Enquanto os resultados dos processos seletivos da Classe de 2024 estão sendo apurados para as melhores faculdades americanas, aqui está nossa avaliação especialista sobre o que aprendemos até agora. Continuaremos a atualizar nossas informações à medida que mais faculdades divulgarem suas informações.

 

ALTOS E BAIXOS

Ao contrário dos anos anteriores, onde vimos um aumento substancial em candidatos brasileiros nos rounds de Early Admissions, os resultados desse ano foram bastante mistos. Por exemplo, em sua totalidade (não somente candidatos brasileiros, mas de todo o mundo) a Brown University viu seu número de candidatos de Early Admissions crescer 8%, além de um aumento de 21% em Early Decision (“ED”) referente ao ano passado. A Cornell também teve um crescimento de candidatos em Early Rounds de 7,4% e um comunicado de imprensa que a própria universidade publicou nos adverte que o número de candidatos a Early Admissions subiu por 90% na última década.

A Harvard em contrapartida teve uma diminuição de candidatos em Early Admissions de quase 8% em relação ao ano passado. Esse ano, foram apenas 6.958 candidatos para o Early Round. A última vez que Harvard teve uma queda de candidatos de Early Admissions na faculdade foi no outono de 2013. A quantidade de candidatos que aplicaram para Early Rounds da Duke diminuiu por 552 alunos (11,4%) em relação ao ano passado. O conjunto de decisões de Early Round applicants de Dartmouth diminuiu 16 pontos percentuais em relação ao ano passado, para 2.069 candidatos. Da mesma forma, a Penn teve uma diminuição de 9% do nível recorde alcançado no outono passado.

Desastres naturais, tiroteios em escolas, incerteza econômica global, greves de professores e tendências demográficas são citados pelos diretores de admissões como possíveis explicações para o declínio de candidatos. Também pode ser que os alunos mais experientes estejam sendo mais estratégicos na maneira de como usam sua Early Options, visando uma aposta mais segura do que apostando no longo prazo. Temos visto esse trend bastante evidente na Steinberg, principalmente quando fazemos a triagem inicial de universidades para cada candidato, ajudando os mesmos a escolher a melhor opção de Early Action ou ED conforme o background acadêmico e pessoal do candidato. Continuaremos a monitorar essas tendências e compartilhar nossa perspectiva à medida que mais dados forem divulgados nos próximos meses.

 

O QUE SABEMOS ATÉ AGORA

  • A diversidade de histórico dos candidatos e do background de cada candidato continua sendo uma das principais prioridades no processo de seleção. As faculdades estão trabalhando ativamente para aumentar a diversidade de seus candidatos por meio de divulgação direcionada e parcerias com organizações internacionais, como a Steinberg.
  • Várias faculdades fizeram menção especial a um aumento no número de candidatos sendo aceitos que são de famílias com baixa renda, ou de primeira geração de estudantes universitários (famílias com pais que não receberam educação no nível superior). Esses ganchos são prioridades institucionais claras, cada vez mais apoiadas pelo processo de admissão.
  • Tanto a Cornell quanto a Penn são faculdades que focaram bastante na admissão-por-legado, com 22% e 24% do ED admitidos, respectivamente, serem filhos de ex-alunos das universidades.
  • Muitas faculdades com programas de ED admitirão 45-50 + por cento da classe recebida durante o processo inicial de triagem. Isso garante que eles possam ter uma base sólida para a classe recebida e reduzir a volatilidade do rendimento.

 

A FACULDADE MAIS DIFÍCIL DE ENTRAR ESSE ANO?

Com base em dados divulgados publicamente, o grupo mais difícil de admissões de Early Rounds este ano pertenceu ao MIT que leva a medalha de outo. Este ano, 9.291 estudantes solicitaram Early Round admissions no MIT e 687 (7%) foram admitidos.

Lembre-se, para a grande maioria das faculdades de ponta (o MIT é a exceção), a taxa de admissão de Early Admissions será significativamente maior do que a taxa de admissão para candidatos regulares. Duke, por exemplo, admitiu 20% de seus primeiros candidatos em processo de Early Round; no ano passado, admitiu apenas 5,7% de seus candidatos regulares através de Regular Decision.

 

ESTATÍSTICAS DE EARLY ROUND ADMISSIONS

RESULTADOS ESPECÍFICOS DA FACULDADE

Brown admitiu 800 alunos em dezembro, o que corresponde a aproximadamente 45% de sua turma total. O grupo admitido representa apenas 17,5% de seus 4.562 candidatos de Early Admissions, tornando esse o processo de Early Admissions mais competitivo que eles já experimentaram em toda a sua história. Os 4.562 estudantes representaram um aumento de 8% em volume em relação ao ano passado. O reitor de admissões, Logan Powell, cita The Brown Promise – uma nova iniciativa que substitui todos os empréstimos em pacotes de bolsa de estudos ofertas pela Universidade – como tendo um grande impacto no tamanho e na composição do pool inicial. 62% dos candidatos admitidos pela Brown em Early Admissions solicitaram ajuda financeira, contra apenas 50% há dois anos. Brown continua pressionando para diversificar seu corpo estudantil, o que é especialmente evidente no aumento de cinco pontos percentuais no número de estudantes de primeira geração no grupo de admissão de ED (17% neste ano versus 12% no ano passado).

Pela primeira vez em quatro anos, a taxa de admissão de ED de Cornell aumentou. A universidade recebeu 6.615 candidatos a ED (um aumento de 7% em relação aos números de candidatos a ED no ano passado) e admitiu 23,8% (1.576 estudantes), o que significa que a taxa de admissão aumentou 1,2 pontos percentuais. Estima-se que os candidatos admitidos compreendam 49% da classe de 2024. Curiosamente, o número de mulheres admitidas neste ano diminuiu quatro pontos percentuais, para 51,4%. Difícil saber exatamente o que fazer com essa estatística – além de que talvez a Cornell estivesse preocupada com o fato de ela estar se aproximando de um ponto de inflexão em relação ao equilíbrio de gênero.

Dartmouth ofereceu admissão a 547 candidatos de ED, com uma taxa de admissão de 26%. O comunicado oficial da faculdade observa que o grupo inicial inclui percentuais recordes de estudantes provindo de escolas públicas do ensino médio (54%), estudantes de primeira geração (15%), cidadãos estrangeiros (12%) e estudantes de cor (35%). Os filhos de ex-alunos de Dartmouth representam 15% dos estudantes aceitos e os atletas recrutados compõem 25% do grupo.

Na Duke, 887 estudantes foram admitidos de uma totalidade de 4.300 candidatos em ED. Com uma queda no número total de candidatos à processos de Early Admissions (mais de 11% em relação ao ano anterior), a taxa de Early Admissions da Duke aumentou para 21%, tornando o processo de ED deste ano um pouco menos competitivo do que nos últimos dois anos. No total, esses estudantes compreenderão 51% da turma de 2024. Os estudantes de cor representam 46% dos admitidos e os estudantes internacionais representam outros 6%.

Harvard viu seu total de candidatos para Early Admissions diminuir em 7,7%, a primeira vez desde o outono de 2013 em que a quantidade de candidatos de Early Action (“EA”) da universidade registrou um declínio. No total, 895 dos 6.424 candidatos foram admitidos como EA na classe de 2024. A taxa de admissão de 13,9% representa um aumento de 0,5% em relação ao ano passado. A taxa de admissão de Early Admissions não aumentou ano a ano desde 2013. O Dean Fitzsimmons da Harvard acredita que a causa dessa queda seja devido a diversos fatores, entre eles os incêndios na Califórnia (o número de candidatos iniciais da Califórnia diminuiu quase 17%) até tiroteios em faculdades e escolas e a incerteza econômica no país. As mulheres compõem 51,7 por cento da classe admitida até agora, um pouco mais do que no ano passado, quando as mulheres representavam 51,3 por cento da classe de admissão de Early Admissions. Parece que Harvard inclinou-se a favor de mulheres interessadas nas ciências físicas e na ciência da computação. Este ano, 57,4% dos estudantes admitidos que disseram que pretendem se concentrar nas ciências físicas são mulheres, em comparação com 52,9% no ano passado e 33% no ano anterior. Para a ciência da computação, 49,1% dos estudantes interessados ​​são mulheres, um aumento de 42,9% no ano passado e 29% no ano anterior.

Penn admitiu 19,7% dos candidatos em processos de Early Admissions da Classe de 2024 – quebrando quase uma década de taxas decrescentes de aceitação de ED. 54% dos estudantes admitidos se identificaram como mulheres, um aumento em relação aos 51% do último ciclo. 10% dos estudantes admitidos são estudantes universitários de primeira geração, uma ligeira queda em relação aos 11% do ano passado. Dos alunos admitidos na turma de 2024, 24% tinham pais ou avós que cursavam Penn. No ano passado, 23% dos estudantes admitidos eram legados.

Explicando a queda no volume de pedidos de ED, Dean Eric Furda, em uma entrevista, parece sugerir um retorno ao “normal” após um “impacto” causado por pontuações mais altas no SAT reprojetado e nos alunos que, portanto, se consideravam mais fortes. Ele também parece acreditar que desastres naturais, falta de energia e greves de professores afetaram o número de estudantes que aplicavam como ED.

A Universidade de Princeton ofereceu admissão a 791 estudantes no processo de Early Admissions deste ano (embora a universidade se abstenha de dizer quantos estudantes se candidataram, sugerindo que ela também teve uma procura menor assim com outras Ivy Leagues). Dos admitidos, 48% dos estudantes se identificam como estudantes de cor, 16% são de baixa renda, 13% são estudantes universitários de primeira geração e 11% são estudantes internacionais.

O volume inicial de inscrições de Yale também diminuiu este ano para 5.777, uma queda de 4% em relação ao recorde de 6.020 alunos no ano passado. Embora com poucos detalhes sobre o grupo admitido, um comunicado de imprensa indica um anúncio de Yale no início deste ano de que as várias classes anteriores estabeleceram recordes de diversidade socioeconômica, com mais de 1.000 estudantes de graduação recebendo bolsas de estudos. Desses, mais de 600 estão no primeiro ano e no segundo ano. Além disso, o número de alunos por turma que serão os primeiros em suas famílias a se formar na faculdade aumentou 75% nos últimos seis anos.

Na costa oeste, ainda se ouve grilos da Stanford com relação aos detalhes de seus candidatos anteriores e dos candidatos aceitos através de Restrictive Early Action (“REA”). A faculdade anunciou no outono passado que, a partir da turma de 2023, deixará de liberar dados de admissão até bem depois que o ciclo de admissão terminar. A mudança pretendia reduzir a “ênfase exagerada colocada nas taxas de admissão nas faculdades e universidades dos EUA”, de acordo com o site de notícias de Stanford. “Ao focar na taxa de admissão, estudantes talentosos que prosperariam em Stanford podem optar por não se inscrever, porque acham que Stanford parece fora de seu alcance”, disse o reitor Persis Drell.

Mas, pare as impressoras, Stanford acabou de divulgar seus dados gerais de admissão para a Classe de 2023. Sua taxa de admissão caiu para um recorde de 4,34%. De um recorde de 47.498 candidatos à classe de Stanford de 2023, apenas um recorde (baixo) de 2.062 foram admitidos.

Fique ligado para mais atualizações assim que estiverem disponíveis!



Open chat